Notícias

Lançamento do número 6 da Revista Simbiótica

 

A revista eletrônica Simbiótica, vinculada aos Programas de Pós Graduação de Ciências Sociais (PGCS) e de História (PPGHis) da UFES, lança seu 6º número. Veja os artigos clicando aqui.

Edimilson Rodrigues de Souza, mestre pelo PGCS-UFES, conquista VI Prêmio Antropologia e Direitos Humanos, edição 2014.

 
Com o artigo "DONOS DA LUTA: Sacralização de lideranças camponesas e indígenas assassinadas em áreas de conflito fundiário", Edimilson Rodrigues de Souza ficou em primeiro lugar, na categoria mestrado, na conquista do VI Prêmio Antropologia e Direitos Humanos (2014) – “Expandindo Fronteiras: Lutas Sociais e Construção de Direitos”. O prémio é concedido pela Associação Brasileira de Antropologia em parceria com a Fundação Ford. A versão completa do artigo será publicada em livro que reunirá todos os textos premiados.
 

"As políticas da insegurança": da Scuderia Detetive Le Cocq às Masmorras do Novo Espírito Santo

Autor: Matheus Boni Bittencourt

A presente dissertação tem como objetivo a análise das políticas de segurança pública e justiça criminal no Espírito Santo entre 1989 e 2013, utilizando metodologia historiográfica e observando a distância entre os objetivos oficiais e as consequências práticas. Para tanto, foi necessário iniciar pela discussão bibliográfica, no capítulo primeiro, no qual
foram discutidas as teorias sociais e políticas sobre crime, punição e desigualdades. No segundo capítulo, me concentro na contextualização histórica das políticas criminais, analisando a formação organizacional do sistema punitivo brasileiro. Coloco ênfase, de um lado, no processo de militarização, isto é, a adoção de hierarquia, disciplina e formação militares nas agências de segurança pública, e de outro lado, e nas sucessivas legislações penais aprovadas pelo Congresso Nacional. Tais processos nacionais se
refletem no Espírito Santo, onde se difundiram “grupos de extermínio” como a Scuderie Le
Cocq, mas não havia política de segurança pública. A primeira surge em meio a grave crise política, entre 1999 e 2002. Mas os seus propósitos são mais avançados com o processo de reforma administrativa após 2003, quando o governo se esforça por impôr modelos de gestão empresariais e parcerias público privadas à administração estadual,
incluindo a segurança pública e sistema penitenciário. Com isto, ocorre uma rápida expansão do encarceramento seletivo em condições extremas de superlotação e violência, desenvolvendo uma indústria carcerária. No terceiro capítulo, realizo uma análise na qual relaciono informações criminais, penitenciárias, econômicas e demográficas, tanto no contexto do Brasil quanto do Espírito Santo. Constato que a repressão estatal tem “preferência” por homens, negros, jovens e de baixa escolaridade;
por crimes de drogas e contra o patrimônio, com a utilização cada vez maior da prisão provisória. No Espírito Santo o encarceramento seletivo cresce em maior velocidade que na média nacional, o que se reflete no perfil da população carcerária, sendo esta ainda mais negra, jovem, de baixa escolaridade e presa por tráfico e drogas e em regime provisório, com frequentes denúncias fundamentadas de torturas, mortes e desaparecimentos forçados entre as populações criminalizadas.
 
Banca Examinadora:
Profª. Drª Maria Cristina Dadalto (UFES/PGCS)
Prof. Dr. Márcia Barros Rodrigues (UFES/PGCS)
Prof. Dr. Michel Misse (UFRJ/PPGSA)
Profª. Drª. Sonia Missagia (UFES/PGCS)
 
Local: auditório do Núcleo de Tecnologia da informação
 
Data: 15/08/2014 às 10h
 

"Fé em Deus": funk e pentecostalismo entre jovens das camadas populares

Autor: Réia Sílvia Gonçalves Pereira

Resumo: Por meio de uma análise socioantropológica, esta pesquisa investiga o peculiar trânsito efetuado por jovens das camadas populares que, negociando entre visões de mundo de aparência antagônica, circulam entre o suposto hedonismo do mundo do funk e o aparente ascetismo pentecostal. Compreende-se que o estudo sobre o trânsito efetuado entre duas fronteiras simbólicas aparentemente díspares coloca em evidência um complexo e intrigante processo de subjetivação e ao mesmo tempo de construção social da realidade. Objetivamente este trabalho é dividido em quatro capítulos. O primeiro deles traz a discussão sobre identidades no contexto contemporâneo, o trânsito entre fronteiras simbólicas e os estilos de vida urbanos. O segundo capítulo, também teórico, disserta sobre os universos do funk e do pentecostalismo e a forma como ambos os domínios se inserem nos contextos das camadas populares. No terceiro capítulo, apresenta-se uma etnografia do bairro São Pedro V, em Vitória, Espírito Santo. Tal trabalho é resultado da observação participante realizada entre dezembro de 2013 e fevereiro de 2014. No quarto capítulo são apresentados os relatos de trajetórias, nas quais estão presentes as estratégias de negociação efetuadas por sujeitos que transitam ou transitaram entre os domínios estudados.

Banca examinadora:

Profª Drª Sandra Regina Soares da Costa Martins (Orientadora) - UFES/PGCS

Prof. Dr. Osvaldo Oliveira (membro interno) - UFES/PGCS

Prof. Dr. Nilton Silva dos Santos (membro externo) - UFF/PPGA

Prof. Dr. Sandro José da Silva (suplente) - UFES/PGCS

30/07/2014, às 13 horas, na sala de aula do PGCS (sala 09) no IC-II

Fórum de Debate Imigratório

 
Fazemos a todos o convite e pedimos apoio na divulgação.
 
Dia 22 - Palestras: Hatianos no Brasil, Brasileiros na Europa. 
Palestrantes: Viviane Mozine (UVV) -  Refugiados Haitianos no Brasil; Eduardo Souto (PF) - Inquéritos de Tráfico Humano de Capixabas para a Europa; Maria Rita Sales (UFES) e Maria Cristina Dadalto - Imigrantes brasileiros em Portugal.
Horário: 9h às 12h
 
Dias 23 e 24 - workshop com Menara Lube Guizardi - Transnacionalismo em Foco: a imigração no contexto internacional
Horário: 9h às 12h
 
Inscrições no local
Será concedido certificado aos participantes.
 
 

Para além do arco-íris: construção social da mulher e experiências da transexualidade

Autor: Hugo Felipe Quintela

O objetivo central desta pesquisa é propor uma abordagem socioantropológica do fenômeno da transexualidade, na sociedade ocidental contemporânea, a partir da análise das “trajetórias de vida” de quatro mulheres que vivenciam a transexualidade, residentes na Grande Vitória - ES, com o intuito de compreendermos as suas visões de mundo e projetos de vida, constituídos em meio a uma eteronormatividade pungente. A metodologia utilizada foi a História de Vida, tendo como objetivo primeiro a percepção dos elementos que são recorrentes na construção social dessa mulher. Os meus contatos com essas mulheres se deram a partir de 2012 até os primeiros meses de 2014. Além das histórias de vida, utilizei algumas entrevistas e dados jornalísticos de mulheres na transexualidade, que ganharam notoriedade na sociedade brasileira nos últimos anos. Inicialmente, foi realizada uma revisão bibliográfica sobre as noções de gênero e seus impactos na sociedade ocidental, assim como o do fenômeno da transexualidade. A partir das histórias de vida e dos dados jornalísticos busquei interpretar os elementos que são invocados para a construção social da mulher nas experiências da transexualidade, analisando
os eventos que são recorrentes em suas vidas, tendo como pressuposto a noção de que essa experiência, em nossa sociedade, é entendida como “comportamento desviante”. As análises das histórias de vida tiveram como referência primeira o conceito de projeto proposto por Alfred Schutz e revistado por Gilberto Velho. Outro foco de análise dessa pesquisa é a produção da “feminilidade”, a partir do corpo, levando em consideração que essa é uma dimensão muito importante nesse processo de tornar-se mulher, buscando a 
compreensão das representações de corpo e gênero na produção dessa identidade. De forma geral, pretende-se desvelar o processo de construção social da pessoa pelo qual essas mulheres passam e o modo como se percebem nas relações sociais que estabelecem em sua vida cotidiana, como também o lugar social que elas tendem a ocupar na sociedade ocidental, principalmente na brasileira. 

Orientadora: Profª. Drª. Sandra Regina Soares da Costa Martins (UFES/PGCS)

Membro interno: Profª. Drª. Cristiana Losekann (UFES/PGCS)

Membro externo: Profª. Drª. Rogéria Campos de Almeida Dutra (UFJF/PPGCSO)

Dia 16/07/2014, às 10 hrs, na sala 9 do IC-II.

 

Seminário "Repensando as relações étnico-raciais na escola"

O Seminário "Repensando as relações étinico-raciais na escola" acontecerá no dia 22/07, de 17 às 21 Hrs, no auditório do IC-II. O mesmo será organizado pela Profª Andrea e os alunos da disciplina "Antropologia e Educação". Contamos com a sua participação.

PROGRAMAÇÃO:
 
17h- ABERTURA
 
17h:15min- MESA REDONDA: 
A OBRIGATORIEDADE DO ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA NA EDUCAÇÃO BÁSICA
(Lei 11645/2008)
- PROFº Gustavo Forde – doutorando em Educação pela UFES e Coordenador do NEAB – IFES, 
- PROFª Andrea Cristina Almeida - Professora indígena, Técnica da SEMED-Aracruz/Setor de Educação Escolar Indígena.
- PROFª Arlete Schubert – Mestre em educação pela UFES, técnica da Secretaria de Educação de Vitória.
 
18h:45min - DEBATE
 
19h:15min - LANCHE
 
19h:40min – RELATOS E EXPERIÊNCIAS DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS - PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA
 
20h:30min - DEBATE
 
21h - ENCERRAMENTO
 
No evento será fornecido o CERTIFICADO de participação!
 

Notícias sobre matrícula e período letivo do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

DIAS

ATIVIDADES

28/07 a 31/07/2014

Período de Rematrícula do Semestre 2014/2

18/08/2014

Início do Semestre 2014/2

19/12/2014

Encerramento do Semestre 2014/2

 

A forma como você se alimenta é um ato político

Entrevista da Profª e nutricionista, Elaine Azevedo, concedida à revista CartaCapital. Para a professora, os motivos para o consumo de produtos orgânicos não são restritos à preocupação com a saúde. 

entrevista pode ser acessada aqui.

10ª Semana de Alimentos Orgânicos

Participe da 10ª Semana de Alimentos Orgânicos, do dia 25 de maio ao dia 01 de Junho de 2014

Clique aqui para acessar informações sobre a programação do evento e os locais de realização.

 

Páginas

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910