Laboratórios

Laboratório de Antropologia (UFES)
Vinculação: Prof. Dr. Osvaldo Martins de Oliveira
 
LECSO – Laboratório de Ensino em Ciências Sociais
Professores do DCSO vinculados ao LECSO: Sandra Vicentim de Oliveira (coordenadora), Mauro Petersem Domingues, Euzeneia Carlos do Nascimento, Lívia de Cássia Godoi Moraes e Sandro Silva
 
LEIDETEC - Laboratório de Identidades e Tecnociência 
Coordenação: Profa Dra Patrícia Pavesi
Vinculação: Profa Dra. Maria Cristina Dadalto
 
LEMM - Laboratório de Estudos do Movimento Migratório
O Estado do Espírito Santo, além de possuir uma gama enorme de belezas, é detentor de todo um passado movimentado e construído sobre o alicerce da imigração estrangeira, principalmente de italianos e germânicos, que contribuíram significativamente para elaboração de uma identidade plural, rica e belíssima.
São essas contribuições e transformações que o laboratório de estudos e movimentos migratórios da universidade federal do espírito santo (LEMM - UFES) se propõe analisar. As construções culturais, a permanência e a mudança no modo de vida e as contribuições que a constante movimentação de pessoas efetuam sobre o meio e a sociedade que o cerca.
 
LEP - Laboratório de Estudos Políticos
O Laboratório de Estudos Políticos (LEP), criado em 2001, tem como objetivo elaborar estudos sobre comportamento político, instituições políticas, movimentos sociais e sobre políticas públicas nos diversos âmbitos da federação brasileira. Especificamente, as pesquisas do LEP tem se orientado para os seguintes focos:
1) processos de formulação, decisão e implementação de políticas públicas, considerando a interação e a formação de redes entre atores estatais e não-estatais no processo de formulação e implementação de políticas públicas;
2) movimentos sociais, organizações sociais e participação política;
3) instituições políticas federais, estaduais e municipais, e seus impactos no comportamento dos atores políticos e na processo de decisões políticas;
4) relação entre participação política e geração de novas institucionalidades político-administrativas na gestão pública.
Professores do PGCS vinculados ao LEP: Marta Zorzal e Silva (coordenadora); Adélia Miglievich Ribeiro
Euzeneia Carlos Nascimento; Márcia Prezotti Palassi.
 
NAnSi - Laboratório de Antropologia Simétrica (Museu Nacional/UFRJ)
Vinculação: Profa Dra Nicole Soares
O Laboratório de Antropologia Simétrica pretende, fundamentalmente, desenvolver, articular e implementar concretamente as consequências de alguns movimentos intelectuais que sacudiram a antropologia nos últimos 25 anos do século passado sem, entretanto, terem se refletido nem no ensino nem nas formas institucionais de organização da disciplina Um dois eixos dessas transformações consistiu em um aprofundamento da crítica dos "grandes divisores" que, simultaneamente, fundaram a antropologia e representam um dos principais obstáculos que ela continuamente enfrenta. Assim, em lugar de simplesmente seguir proclamando, de modo abstrato, que não existe critério que permita hierarquizar sociológica ou cognitivamente as sociedades, uma série de movimentos, no interior e nas margens do campo antropológico, passaram a extrair as conseqüências empíricas, teóricas e ético-políticas desse posicionamento. Trata-se, portanto, em primeiro lugar, de romper com uma divisão de "especialidades" que apenas reflete o grande divisor ontológico nós/eles que há muito tempo a antropologia proclama ter abolido. Assim, o Laboratório reunirá pesquisadores que investigam sociedades comumente designadas "indígenas", ou mesmo "primitivas" e aqueles que pesquisam sua "própria" cultura ou a chamada "sociedade complexa". Em segundo lugar, as conexões transversais entre esses pesquisadores deverão ser capazes de promover novas articulações e reviravoltas nos eixos epistemológicos e metodológicos envolvidos na investigação etnográfica e antropológica. Em outros termos, o diálogo entre investigações empíricas sobre modos de pensamento, formas de organização e modalidades de interação vigentes em diferentes formas de socialidade - que, talvez, e para além da diferença entre sociedades, tenham em comum justamente o fato de serem alternativas às forças dominantes - poderá catalisar a desestabilização dos modelos dominantes que buscam se impor sobre nós mesmos e sobre os outros.
Ano de criação: 2005 
Coordenação: Marcio Goldman e Eduardo Viveiros de Castro 
 
T/terra - Laboratório Antropologias da T/terra 
Coordenação: Prof.ª Marcela Stockler Coelho de Souza (UNB)
O objetivo primeiro do T/terra é ser um espaço para a fertilização mútua entre pesquisas que descrevem como diferentes pessoas e coletivos constituem as terras em que vivem, a partir das suas próprias práticas de conhecimento e ao longo de suas histórias específicas, bem como os processos de tradução dessas práticas na interação com outras agências, no contexto da presente (e persistente) ofensiva sobre as terras e vidas que não se deixam definir pela lógica colonial do Estado ou do capital. No horizonte dessa proposta está também o aprofundamento de um diálogo entre antropologia e direito, especialmente no que tange aos debates sobre direito territorial diferenciado que escapam às ideias comuns de posse e propriedade. Mas há outras conexões.
Vinculação: Profa Dra Nicole Soares
 
 
 

 

 

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910